quinta-feira, 27 de outubro de 2016

ORAÇÕES PELA PAZ

Oração Pela Paz
Padre Zezinho


Cristo, quero ser instrumento de Tua
Paz e do Teu infinito amor
Onde houver ódio e rancor, que eu
Leve a concórdia, que eu leve o amor

Onde há ofensa que dói
Que eu leve o perdão
Onde houver a discórdia,
Que eu leve a união e Tua paz

Onde encontrar um irmão
A chorar de Tristeza
Sem ter voz e nem vez
Quero bem no seu coração
Semear alegria
Pra florir gratidão

Mestre, que eu saiba amar
Compreender, consolar
E dar sem receber
Quero sempre mais perdoar
Trabalhar na conquista
E vitória da paz





Senhor, Deus da paz, tu que criastes o homens para serem herdeiros da Tua glória, nós Te bendizemos e agradecemos porque nos enviastes Jesus, Teu Filho bem-amado. 
Tu fizeste dEle, no mistério da Sua Páscoa, o realizador da nossa salvação, a fonte de toda paz, o laço de toda fraternidade. Agradecemos pelos desejos, esforços e realizações que Teu Espírito de paz suscitou em nossos dias, para substituir o ódio pelo amor, a desconfiança pela compreensão, a indiferença pela solidariedade. Abre mais ainda nosso espírito e nosso coração para as exigências concretas do amor a todos os nossos irmãos, para que sejamos, cada vez mais, artíficies da paz. Lembra-Te, ó Pai, de todos os que lutam, sofrem e morrem para o nascimento de um mundo mais fraterno. Que para os homens de todas as raças e línguas venha Teu reino de justiça, paz e amor. Amém.
(Papa João Paulo II)



Nossa Senhora da Paz

A cada homem que vem a este mundo, Jesus repete: Esta é a minha Mãe. Por ela vencerás. (Serva de Deus, Madre Maria José de Jesus)

Ó Maria, doce Mãe de Jesus Cristo, Príncipe da Paz, eis a vossos pés vossos filhos tristes, perturbados e cheios de confusão; pois afastou-se de nós a paz pelos nossos pecados. Intercedei por nós, para que gozemos a paz com Deus e nosso próximo, por vosso Filho Jesus Cristo. Ninguém pode dá-la, senão esse Jesus que recebemos de vossas mãos. Quando nasceu em Belém os anjos nos anunciaram a paz e quando Ele abandonou o mundo no-la prometeu e deixou-a como sua herança. Vós ó Bendita, que trazeis sobre os vossos braços o Príncipe da Paz, mostrai-nos esse Jesus e deita-o em nosso coração. Ó Rainha da Paz, estabelecei entre nós o vosso reino e reinai com vosso Filho no meio do vosso povo, que cheio de confiança se recomenda à vossa proteção. Afastai para longe de nós os sentimentos de amor próprio: expulsai de nós o espírito de inveja, de maldição e de discórdia.
Fazei-nos humilde na fortuna, fortes nos sofrimentos, em paciência e caridade firmes e confiantes na divina providência.
Abençoai-nos, dirigindo os nossos passos no caminho da paz, da união e mútua caridade, para que, formando aqui a vossa família, possamos no Céu bendizer-vos e a vosso divino Filho porto da eternidade.

Nossa Senhora, rogai por nós. Amém.
Rezar 3 Ave Maria
(FONTE:SITE DO PADRE REGINALDO MANZOTTI) 




Oração da paz
Senhor! Fazei de mim um instrumento da vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor.
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão.
Onde houver discórdia, que eu leve a união.
Onde houver dúvidas, que eu leve a fé.
Onde houver erro, que eu leve a verdade.
Onde houver desespero, que eu leve a esperança.
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria.
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó Mestre, fazei que eu procure mais:
consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe.
É perdoando que se é perdoado.
E é morrendo que se vive para a vida eterna.





Filhos e filhas

Começo este primeiro boletim de 2017 desejando que a Paz de Jesus esteja nos corações de todas as pessoas.
Cada novo ano é uma dádiva que Deus nos concede. É como uma página em branco, onde podemos reescrever nossa história, acertando o que estava errado, melhorando o que já estava bom.
Mas, nada do que planejamos para este ano fará sentido ou atingirá seu objetivo se não tivermos o que é essencial: paz. A paz não é apenas ausência de guerras, claro que precisamos de paz nas ruas, paz entre as nações. Todos os dias nos chegam enxurradas de notícias de conflito entre povos, guerrilhas, brigas, violência no trânsito, violência de todo tipo, a vida humana parece não estar valendo mais nada. Porém, me refiro especialmente à paz interior.
Na ânsia pela paz, muitos, na virada do ano, vestiram-se de branco e fizeram simpatias; outros a procuraram onde jamais a encontrarão, porque a paz que o mundo nos oferece é ilusória, é passageira. A verdadeira paz começa a existir do nosso encontro pessoal com Jesus, o ‘Príncipe da Paz’. Ela brota dentro de cada um de nós, para depois exteriorizar-se, manifestar-se e se expandir em casa, na família, no ambiente de trabalho, nas ruas, nas cidades e no mundo.
Ninguém é santo, ninguém é perfeito. Amamos e odiamos, erramos e acertamos, temos gestos bons e maus. A nossa fragilidade humana é marcada pelo pecado. Mas, Deus nos amou tanto que se compadeceu de nós, em Jesus assumiu nossa humanidade, assemelhou-se a nós em tudo, menos no pecado. E porque Jesus veio a nós a paz tornou-se possível. Ele nos disse: “Eu deixo para vocês a paz, eu lhes dou a minha paz. A paz que eu dou para vocês não é a paz que o mundo dá. Não fiquem perturbados, nem tenham medo” (Jo 14,27).
O medo é um dos inimigos da paz, porque nos leva à insegurança, à desconfiança, a nos armarmos contra aqueles que pensamos ser uma ameaça para nós. Não digo que estejamos com armas de fogo, também não me refiro só à agressão física... Fazemos de nossa língua uma arma mortal, espalhando fofoca e maledicência, “puxando o tapete”, mentindo e intimidando. A língua pode ter uma força de agressão violenta. Por isso, ao nos deixar a Paz Jesus nos recomendou que não tivéssemos medo, por isso também, em seguida, Ele nos mandou amar-nos uns aos outros (cf. Jo 15,17). O medo separa, desequilibra e desune; o amor atrai, congrega, dá segurança e traz a paz.
É preciso ter confiança para combater o medo. É a confiança que fará brotar em nós a esperança, que fará brotar os valores do Reino. Se deixarmos a semente do mal permanecer e alimentarmos o vício do pecado, ele produzirá a morte. Se confiarmos em Jesus e permitirmos que a água que brota do seu coração venha a nós, o fruto da graça germinará.
A paz interior é um dom do Espírito Santo, como nos diz a Carta aos Gálatas: “Por seu lado, são estes os frutos do Espírito: amor, alegria, paz” (Gl 5,22). Isso quer dizer que ela deve ser pedida como o próprio Apóstolo Paulo afirma: “Apresentem a Deus todas as necessidades de vocês através da oração e da súplica, em ação de graças. Então, a paz de Deus, que ultrapassa toda compreensão, guardará em Jesus Cristo os corações e pensamentos de vocês” (Fl 4,7). Esse trecho da Carta aos Filipenses nos dá uma certeza que a paz não é uma utopia, não é um “talvez”, mas é uma certeza em Jesus. Ele venceu o mundo! A paz já nos foi concedida!
Um abençoado ano de paz a todos!
Padre Reginaldo Manzotti

Nenhum comentário:

Postar um comentário