sexta-feira, 22 de junho de 2018

SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS - BOLETIM DO PADRE REGINALDO MANZOTTI

Filhos e filhas,


Sei que este ano celebramos a Solenidade do Coração de Jesus no início do mês (08/06), mas deixei propositalmente uma reflexão sobre este tema para esta semana quando estamos nos preparando para as 24 Horas em Oração na Presença do Senhor. Um dia todo que o Santuário Nossa Senhora de Guadalupe permanece aberto em louvor e súplica ao Sagrado Coração de Jesus.

Do lado aberto de Jesus transpassado pela lança saiu água e sangue (cf. Jo 19,31-37). Desse manancial de graças, que é o Sagrado Coração de Jesus, um rio de misericórdia desce sobre nosso coração ferido, o nosso coração endurecido e indiferente ao apelo e ao amor de Deus. Por isso, é necessário pedir constantemente que o nosso coração tenha os mesmos sentimentos que o de Jesus Cristo.

Jesus, manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!

Do coração de Jesus brotou água e sangue e ao mesmo tempo se cumpriu as escrituras: “Olharão para aqueles que transpassaram”. Os soldados não lhe quebraram as pernas porque o cordeiro tinha que ser perfeito, sem mancha, sem defeitos e transpassaram o coração que foi capaz de amar a humanidade sem limites.

Um coração que foi capaz de aceitar a encarnação, porque a encarnação de Jesus já foi um transbordar de amor. Esse coração capaz de amar até as últimas consequências ainda fez transbordar a água do Batismo, da purificação e o sangue da Eucaristia. O coração transbordante de Jesus fez nascer, no momento da cruz, a vida sacramental.

A devoção ao Sagrado Coração de Jesus foi muito bem pontuada através de muitos Escritos Papais e, particularmente, a Carta Encíclica “Haurietis Aquas” (Beberão águas), do Sumo Pontífice Pio XII, trata da Devoção ao Sagrado Coração de Jesus e exorta-nos a abrirmos ao mistério de Deus e de seu amor, deixando-nos transformar por Ele.

A devoção ao Sagrado Coração é um dos grandes desafios da nossa fé, porque nos leva a contemplar, a experimentar e testemunhar o amor de Deus. Para aprofundarmos na relação com Jesus, temos que parar de ser rasos, porque isto não é próprio de quem quer experimentar o amor de Deus.

Na devoção ao Sagrado Coração, como nos ensina o ministério da Igreja, somos chamados a “experimentar” Jesus e todo seu amor por nós. E aqui nos cabe uma reflexão: Qual a profundidade de nossa experiência com Deus?

Precisamos nos perguntar isso, porque o que nos leva à experiência e ao conhecimento é a Palavra de Deus “mastigada”, “ruminada” e tão internalizada a ponto de não sabermos se é nosso conceito ou conceito de Deus, como viveu São Paulo: “Eu vivo, mas já não sou eu que vivo, pois é Cristo que vive em mim” (Gl 2,20a).

É essa a dinâmica do Coração transbordante de Jesus. “Olharão para aquele que transpassaram”, deixemo-nos atrair por esse Coração que é misericórdia, amor, perdão e doação.


Deus abençoe,
Padre Reginaldo Manzotti

Nenhum comentário:

Postar um comentário